BANNER

Nosso Seguimento:

Empresa

A Tuning Car Extreme é uma empresa focada na distribuição de acessórios para veículos. Oferece aos clientes a garantia integral do fabricante.Formada por profissionais de larga experiência em gestão de vendas, seu pedido conta com o suporte dos departamentos de vendas, financeiro, expedição, marketing e diretoria.
Desde a inauguração, a empresa cresceu e evoluiu focada na distribuição de acessórios para satisfazer seu desejo de personalização e exclusividade. Nosso objetivo é promover sua comodidade, inspirar mudanças de atitude que garantam prazer ao ver a transformação do seu veículo com os acessórios da Tuning Car Extreme.
Atuamos em São Paulo, com a loja virtual que atendemos consumidores do país. Nosso objetivo é garantir que seu desejo seja realizado e seu veículo personalizado. Além de todos os produtos comercializados, nossos serviços alinham aos seus anseios de mudança. Isso resulta em uma combinação sob medida para nossa empresa e para você.
Nossa maior alegria é tê-lo como cliente.


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Pilotos da GT Academy não podem competir no mundo real por serem “rápidos demais”


 


Desde que foi lançada em 2008, a Nissan GT Academy vem
 repetindo algo que antes parecia absurdo e irrealista: colocar pessoas que 
jogassem muito bem o game Gran Turismo em carros de corrida de verdade.
 O espanhol Lucas Ordoñez, por exemplo, foi do sofá para o cockpit 
por meio do programa – e hoje é piloto profissional.

Mas agora os vencedores do GT Academy encontram uma bandeira 
amarela em seu caminho: eles não poderão correr o Campeonato
 Britânico de GT porque são rápidos demais. Como assim rápidos demais?

No ano passado o vencedor da GT Academy Jann Mardenborough
 e seu parceiro Alex Buncombe chegaram muito perto de vencer a classe
 Pro-Am do Britânico de GT em seu Nissan GT-R Nismo GT3. Esta categoria
 deveria ser composta apenas por “pilotos cavalheiros” não-profissionais 
(caso de Mardenborough), que supostamente seriam mais lentos que os profissionais
. Mas Mardenborough não era — ele se iguala aos caras que fazem isso
 profissionalmente há anos.

Com base nisso, os promotores do campeonato recusaram a inscrição
 de quatro pilotos da GT Academy, dizendo que eles são bons demais para entrar
 na categoria. Aqui está o que o chefão da categoria disse ao site GT
 Planet:

“[O GT Academy] tem se mostrado uma grande fonte de novos talentos, 
como vimos no Campeonato Britânico de GT do ano passado com Jann Mardenborough. 
 Contudo, a habilidade da Nissan em encontrar esses novos
 talentos significa 
que não poderemos aceitar a inscrição desses pilotos para toda a 
temporada de 2013.
 Seus novos recrutas têm pouquíssima experiência com corridas, por isso 
eles precisam entrar na categoria de desempenho mais baixo. 
Mas o talento desses pilotos não refletem esta falta de experiência, 
portanto não é justo colocá-los em nosso grid de duplas profissional/amador
 (Pro-Am), a base do GT3 britânico.”

Até dá pra entender o argumento: eles são rápidos, mas não possuem experiência 
em competição do mundo real. No Playstation, se você decide tentar ganhar de 
todo mundo na primeira curva e erra, é só dar um restart. No mundo real, 
além de poder causar um prejuízo milionário, você pode morrer.
Mesmo assim, que pena desses caras. Mas não se preocupem — mesmo
 que eles não consigam correr na GT britânica, há outras séries nas quais
 eles podem competir neste ano.

[Foto: Nissan]
POR - PATRICK GEORGE
10 FEV, 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário se vocês meus leitores gostaram do carro: